Curiosidades

17 de abril na história: É oficializado o fim da Guerra dos Trezentos e Trinta e Cinco anos

Embora seja a guerra mais longa da história, ela nem chegou a acontecer de verdade

Em 17 de abril de 1986 terminava a Guerra dos Trezentos e Trinta e Cinco Anos, entre Ilhas Scilly e os Países Baixos.

Essa guerra realmente durou 335 anos, no entanto, nenhuma baixa foi contada. Na verdade, a mais longa guerra da história não causou dano algum, já que nenhum tiro foi disparado nesse período.

Origem da Guerra

A origem está na Segunda Guerra Civil Inglesa. Os beligerantes eram os realistas e os parlamentaristas que travaram muitas disputas nos anos 1600. Oliver Cromwell, líder político inglês, era parlamentarista e teve que lutar contra os realistas nos limites do Reino de Inglaterra. Em 1648, Cromwell controlava o lado continental da Cornualha e estava nas mãos dos parlamentaristas. No entanto, a Cornualha era o último bastião dos realistas. No meio disso tudo, a Marinha Real Britânica, que defendia os realistas, foi obrigada a retirar-se para as Ilhas Scilly.

Enquanto isso nos Países Baixos, eles conseguiam sua independência em relação a Espanha. Por ter boa relação com a Inglaterra os Países Baixos decidiram apoiar o lado parlamentarista, que parecia ser o mais forte e mais propenso a ganhar a Segunda Guerra Civil Inglesa.

O início da “guerra” dos 335 anos

Devido a sua entrada na guerra inglesa, a Marinha dos Países Baixos sofreu grandes baixas impostas pelos realistas nas ilhas Scilly. Em 30 de março de 1651, o almirante Maarten Harpertszoon Tromp chegou às Scilly para exigir uma indenização aos realistas pelos danos sofridos pelos navios e bens neerlandeses. Como não conseguiu o acordo que queria ele declarou guerra, não contra todo o Reino Unido, mas, apenas as Ilhas Scilly.

Devido a estranheza da declaração de guerra não contra uma nação, mas apenas uma pequena parte dela, (as ilhas pertencem a Inglaterra). Em junho de 1651, pouco depois da declaração de guerra, os parlamentaristas forçaram os navios realistas a render-se. A frota neerlandesa, já sem estar sob ameaça, deixou a zona sem disparar um só tiro. Devido à obscuridade da declaração de guerra da nação contra uma pequena parte de outra, ninguém acabou levando essa declaração a sério.

Após a confusão, ninguém tentou resolver o que estava acontecendo e a situação ficou nebulosa por mais de 300 anos, onde tecnicamente havia um estado de guerra, mas que nenhum dos lados levou em frente.

A paz oficial

Em 1985, Roy Duncan, historiador e presidente do Conselho das Ilhas Scilly, escreveu à Embaixada dos Países Baixos para eliminar o mito de que ainda havia um estado de guerra. Em 17 de abril de 1986, Rein Huydecoper, embaixador neerlandês, assinou o tratado de paz e a “guerra” havia chegado ao fim. O embaixador chegou a brincar que foi angustiante, durante todos esses anos, para os habitantes das Ilhas Scilly “saberem que poderiam ser atacados a qualquer momento”.

 

 

 

 

 

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios