Curiosidades

29 de novembro na história: ONU vota pela partilha da Palestina e criação de um Estado judeu

Até hoje a decisão causa polêmica e atrito entre judeus e árabes

Apesar da forte oposição árabe, a Organização das Nações Unidas votou pela partilha da Palestina e a criação de um estado judeu independente em um dia como este, no ano de 1947. A questão, na era moderna, envolvendo os dois povos na região, remonta à década de 1910. A partir de 1929, árabes e judeus lutavam abertamente pela Palestina. A Grã-Bretanha, que dominava a área na época, tentou limitar a imigração judaica como forma de apaziguar os árabes. Porém, com o holocausto na Segunda Guerra, muitos judeus entraram ilegalmente Palestina. Grupos judeus radicais usaram táticas de terrorismo contra as forças britânicas na Palestina, pois achavam que eles haviam traído a causa sionista.

 

No final da II Guerra Mundial, em 1945, os Estados Unidos assumiram a causa. A Grã-Bretanha, incapaz de encontrar uma solução para o problema, pediu ajuda às Nações Unidas, que determinou a partilha da Palestina. Desta maneira, os judeus ficaram com mais da metade do território, embora tivessem menos da metade da população da Palestina. Em 14 de maio de 1948, acabou o período de ocupação da Grã-Bretanha e o Estado de Israel foi proclamado. No dia seguinte, as forças do Egito, Transjordânia, Síria, Líbano e Iraque invadiram o território. Os israelenses lutaram contra os árabes e, em seguida, conquistaram territórios importantes como Galileia, a costa palestina e uma faixa que liga o litoral à parte ocidental de Jerusalém. Em 1949, a ONU intermediou um cessar-fogo e deixou Israel no controle permanente das áreas conquistadas. A partida de centenas de milhares de árabes palestinos de Israel durante a guerra deixou o país com uma maioria judaica.

 

Fonte: History.com

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios