Geral

Alunos da FAJ (Jaguariúna) realizam trabalho acadêmico para ajudar donos de cães e gatos a se prevenirem contra doenças

Utilidade

MICOPLASMOSE HEMOTRÓPICA FELINA: REVISÃO DE LITERATURA (Feline hemotropic mycoplasmosis: Literature review)

Os gatos, assim como os cães, estão sujeitos a contrair pulgas e carrapatos provenientes do ambiente já que frequentemente saem para passeios nas ruas e podem demorar dias, em alguns casos meses para retornar para os seus lares, fazendo com que esses passeios indevidos sejam a maior fonte de contágio dos parasitas. A Micoplasmose é uma doença transmitida aos gatos através da picada de carrapatos e pulgas infectados pelos microrganismos anteriormente conhecidos por Haemobartonellafelis.

Hoje descobriu-se que a Haemobartonellaé classificada como uma Micoplasmose. A Micoplasmose Hemotrópica Felina se caracteriza pela destruição dos glóbulos vermelhos, além de uma anemia causadas pela fixação de parasitas na superfície externa das hemácias fazendo com que haja uma resposta imune por parte do hospedeiro. Os sintomas da doença são resultados da anemia que ela provoca, tais como apatia, prostração, febre, aumento do baço, mucosas hipocoradas ou ictéricas, e perda de peso em função da redução do apetite.

A infecção por Micoplasmaspp. deve ser considerada quando os gatos apresentarem sinais de conjuntivite, ceratite, espirros e secreção nasal mucopurulenta, tosse, dispneia, febre, claudicação com ou sem articulações doloridas e edemaciadas, abcesso subcutâneo ou aborto. Em muitos animais, a doença pode não apresentar sintomas, normalmente enquanto este apresenta imunidade ativa, do contrário, ele passa a manifestar os sintomas.

O tratamento para a doença pode ser feito apenas com o próprio sistema imune do animal, caso a doença se agrave, é feita a administração de medicamentos com prescrição do médico veterinário para que haja a cura do animal.Há possibilidade de que os animais acometidos tenham uma vida normal, desde que o tratamento seja feito corretamente, associado a uma boa alimentação.

A prevenção é imprescindível para a hemobartonelose e melhor forma de evitar a doença é o controle da população de piolhos, carrapatos e principalmente pulgas, mantendo sempre o ambiente e os animais protegidos, além de evitar que os felinos saiam nas ruas.


MICOPLASMOSE HEMOTRÓPICA FELINA: REVISÃO DE LITERATURA

Feline hemotropic mycoplasmosis: Literature review

 

BERALDO, Tainara Natalina Tomas

Universidade de Jaguariúna – UNIFAJ

MALVEZZI, Mariana Tagliaferro

Universidade de Jaguariúna – UNIFAJ

BAZANI, Maria Laura Silva

Universidade de Jaguariúna – UNIFAJ

ORTMANN, Fernanda Moura

Universidade de Jaguariúna – UNIFAJ

GOMES, Vítor André Azevedo

Universidade de Jaguariúna – UNIFAJ

Resumo:Os gatos, assim como os cães, estão sujeitos a contraírem ectoparasitas provenientes do ambiente, os felinos perambulam com frequência fazendo com que essa seja a maior fonte de contágio dos parasitas. A Micoplasmose é uma doença transmitida aos gatos através da picada de carrapatos e pulgas infectados, pelos microrganismos anteriormente conhecidos pelas literaturas como Haemobartonellafelis, hoje a doença é conhecida por MicoplasmoseHemotrópica Felina que se caracteriza pela destruição dos glóbulos vermelhos, além de uma anemia causadas pela fixação de parasitas na superfície externa das hemácias e causando sintomas como apatia, prostração, febre, aumento do baço, mucosas hipocoradas,e perda de peso em função da redução do apetite. A infecção por Micoplasmaspp. em gatos deve ser considerada quando apresentarem sinais de conjuntivite, ceratite, espirros e secreção nasal mucopurulenta, tosse, dispneia, febre, claudicação com ou sem articulações doloridas e edemaciadas, abcesso subcutâneo ou aborto. Em muitos animais, a doença pode não apresentar sintomas, normalmente enquanto este apresenta imunidade ativa, do contrário, ele passa a manifestar os sintomas. O tratamento para a doença pode ser feito apenas com o próprio sistema imune do animal, caso a doença se agrave, é feita a administração de medicamentos com prescrição do médico veterinário.

 

Palavras-chave: Anemia; Gatos; Pulgas.

                                        

Abstract: Cats, like dogs, are prone to contracting ectoparasites from the environment, felines often roam around making them the major source of parasite contagion. Mycoplasmosis is a disease transmitted to cats through the bite of ticks and infected fleas, by microorganisms previously known by the literature as Haemobartonellafelis, today the disease is known as MycoplasmosisHemotropic Feline that is characterized by the destruction of red blood cells, in addition to anemia caused by the fixation of parasites on the outer surface of the erythrocytes and causing symptoms such as apathy, prostration, fever, spleen enlargement, hypocortical mucous membranes, and weight loss due to reduced appetite. Mycoplasmaspp infection in cats should be considered when signs of conjunctivitis, keratitis, sneezing and mucopurulent nasal discharge, cough, dyspnea, fever, claudication with or without painful and swollen joints, subcutaneous abscess or abortion. In many animals, the disease may not show symptoms, usually while it has active immunity, otherwise it begins to manifest symptoms. The treatment for the disease can only be done with the animal’s own immune system, if the disease worsens, the administration of medicines with prescription by the veterinarian is made.

 

key-words: Anemia; Cats; Fleas.

 

Introdução

Os gatos, assim como os cães, estão sujeitos a contrair parasitose de pulgas e carrapatos provenientes do ambiente. Isso porque frequentemente os felinos saem para passeios nas ruas nos quais podem demorar dias, eem alguns casos, meses para retornar para os seus lares. Esses passeios indevidos são a maior fonte de contágio dos parasitas.

A Micoplasmose é uma doença transmitida aos gatos através da picada de carrapatos e pulgas infectados pelosmicrorganismos anteriormente conhecidospelas literaturas comoHaemobartonellafelis(SALVARANI, 2013).

Esses microrganismos durante muitos anos foram classificados como Haemobartonellae Eperythrozoon, entretanto, os resultados de sequenciamento de genes de RNA ribossômico e de ribonuclease dos genes P RNA indicaram que, na verdade, se tratam de micoplasmas. Os micoplasmashematrópicos são bactérias sem paredes celulares que se fixam à superfície dos eritrócitos, onde crescem (GREENE, 2015).

A MicoplasmoseHemotrópica Felina é comumente caracterizada pela destruição eritrocitária e anemia causadas pela fixação de parasitas na superfície externa das hemácias e uma resposta imune por parte do hospedeiro infectado (TILLEY, P. Larry; JUNIOR, Francis, 2014).

A anemia se caracteriza, principalmente, pela redução do volume globular na contagem de hemácias ou na concentração de hemoglobina. A anemia não se trata de uma doença, e sim da consequência de uma doença (BIRCHARD,Stephen J.; SHERDING,Robert G., 2008).

 

Sintomas

Os sintomas da doença são provenientes da anemia que ela provoca, tais como apatia, prostração, febre, esplenomegalia (aumento do baço), mucosas hipocoradas ou ictéricas, e perda de peso em função da redução do apetite. Em muitos animais a doença pode ser assintomática, normalmente enquanto este apresenta imunidade ativa. Do contrário, ele passa a manifestar os sintomas (FERNANDES, 2013).

Segundo Greene (2015), a infecção por Micoplasmaspp. deve ser considerada para gatos que apresentam conjuntivite, ceratite, espirros e secreção nasal mucopurulenta, tosse, dispneia, febre, claudicação com ou sem articulações doloridas e edemaciadas, abcesso subcutâneo ou aborto.

 

Tratamento

          O tratamento pode ser autolimitante, ou seja, o próprio organismo ativa o sistema imunológico e vence a infecção. Em determinados casos é necessário entrar com antibióticos e terapia de suporte (FERNANDES, 2013).

Os fármacos que se mostraram eficazes para o tratamento das infecções causadas por Mycoplasma spp. foram tilosina, eritromicina, lincomicina, tetraciclinas, cloranfenicol, aminoglicosídeos e fluoroquinolonas (GREENE, 2015).

 

Considerações finais

Foi concluído que há possibilidade de que os animais acometidos tenham uma vida normal, desde que o tratamento seja feito corretamente, associado a uma boa alimentação. Concluiu-se também que a prevenção é imprescindível para a hemobartonelose, visto que esta pode recidivar, caso o felino esteja imunodeprimido. A melhor forma para sua profilaxia é o controle da população de piolhos, carrapatos e principalmente pulgas, mantendo sempre o ambiente e os animais protegidos, além de evitar que os felinos saiam nas ruas.

 

 

Referências bibliográficas

BIRCHARD,Stephen J.; SHERDING,Robert G. Manual Saunders – Clínica de Pequenos Animais. Brasil: Roca, 2008.

 

FERNANDES, Marcos. Hemobartonelose: Doença sanguínea. 2013. 1 folha. Revista pulo do gato/Campinas, 2013.

GREENE. Doenças Infecciosas em cães e gatos. Brasil: Roca, 2015.

SALVARANI, Renata.; SANTOS, Gisele.; MOÇO, Helder. Hemobartonelose em gatos: revisão de literatura. 2013. 6 folhas. Faculdade de Medicina Veterinária de Garça/SP, FAMED/ FAEF, 2013.

TILLEY, P. Larry; JUNIOR, Francis. Consulta veterinária em 5 minutos. Brasil: Malone, 2014.

Mostrar mais

info24

Baixe nosso aplicativo para seu celular ANDROID e receba todas notícias diariamente.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios