Política

Bolsonaro quer isentar produtores rurais que precisam defender suas propriedades

Durante a Agrishow, o presidente afirmou que a lei não puniria os produtores que precisem entrar em confronto armado contra invasores

O presidente Jair Bolsonaro visitou a feira de agro tecnologia, Agrishow, na última segunda-feira, 29. Durante sua fala ele garantiu que estuda projetos que visam melhorar a segurança do homem do campo. O objetivo é garantir o direito à propriedade privada e a segurança no campo.

Na Agrishow, que acontece em Ribeirão Preto, SP, o presidente afirmou que deve entrar na pauta o “excludente de ilicitude” para o cidadão de bem do campo. Isso significa que o produtor rural pode se defender com o uso de arma sem que haja ilicitude de sua parte caso entre em confronto com os bandidos.

“Esse [o excludente de ilicitude] é um projeto que vai dar o que falar. É para fazer com que, ao defender sua propriedade privada ou sua vida, o cidadão do bem entre no excludente de licitude, ou seja, ele responde [um processo], mas não tem punição. É a forma que temos para quem está do outro lado, que não teme em desrespeitar a lei, temam vocês, temam o cidadão de bem, e não o contrário”, afirmou Bolsonaro.

Essa proposta já está em estudo no pacote anticrimes de Sérgio Moro.

Não atrapalhar o produtor

O presidente também afirmou que não quer que o governo atrapalhe quem produz. “Nós queremos e estamos tirando o Estado do cangote daqueles que produzem, daqueles que investem e dos grandes empreendedores”, disse.

Ao lado dos ministros do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, Bolsonaro disse que uma das medidas a serem seguidas pelo setor é “fazer um limpa” no Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e no Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), e colocar pessoas que estejam ao lado daqueles que produzem.

“Tem que haver fiscalização sim, mas o homem do campo tem que ter o prazer de receber o fiscal e, num primeiro momento, ser orientado para que ele possa cumprir as leis”, disse.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios