Polícia

Grupo Oi na mira da Polícia Federal em vários Estados nesta terça-feira (10)

"Mapa da Mina"

A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira (10/12), em cooperação com o Ministério Público Federal e com a Receita Federal, a 69ª fase da Operação Lava Jato, denominada “Mapa da Mina”.

São cumpridos 47 mandados de busca e apreensão na Operação que investiga possíveis repasses do grupo Oi/Telemar para uma empresa de “Lulinha” (Fabio Luis Lula da Silva), um dos filhos do ex-presidente Lula. Fontes ligadas ao Terça Livre  relataram que os policiais adentraram os prédios armados com fuzis.

De acordo com as informações divulgadas pela PF, cerca de 200 policiais federais, com o apoio de 15 auditores fiscais da Receita Federal, cumprem mandados em São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia e no Distrito Federal.

Ainda segundo nota da PF, “o inquérito policial tem como foco principal a apuração de crimes de corrupção ativa e passiva, organização criminosa, tráfico de influência internacional e lavagem de dinheiro envolvendo contratos  ou acertos suspeitos que geraram repasses milionários a grupo econômico integrado por pessoas físicas e jurídicas investigadas naquela fase”.

“Os contratos sob investigação foram celebrados com grandes companhias operadoras de telefonia, internet e TV por assinatura atuantes no país e no exterior e as evidências indicam que os serviços contratados pelo citado grupo econômico nos principais casos foram realizados em patamares ínfimos ou não foram prestados, apesar dos pagamentos recebidos integralmente. O montante dos repasses apurado até o momento chega a R$ 193 milhões, ocorridos entre 2005 e 2016”, diz a PF.

Uma coletiva de imprensa será feita ainda hoje para dar mais detalhes do caso.

Com informações: Terça Livre

Mostrar mais

info24

Baixe nosso aplicativo para seu celular ANDROID e receba todas notícias diariamente.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios