Política

Tribunal Venezuelano faz audiência fechada para condenar presos políticos

Tribunal condenou dois americanos e tenta sentenciar 28 presos políticos sem o devido processo legal

Segundo informações publicadas por Villca Fernández, ex-prisionero político do regime Socialista Bolivariano do ditador Maduro, e coordenador do grupo “Resistencia Sin Fronteras”, O 4º Tribunal de Terrorismo (sim, os terroristas tem um tribunal para “combater” o terrorismo), chefiado por Máximo Márquez, está se mudando para o SEBIN (Serviço Bolivariano de Inteligência Nacional), para forçar os prisioneiros políticos da Operação Gedeón a se declararem culpados de crimes que não cometeram.

 

Os presos não tiveram acesso a ampla defesa e o contraditório, que são as bases do devido processo legal, numa clara violação do direito internacional, ou seja, nenhuma novidade para o regime Ditatorial do tirano Nicolás Maduro, denunciado na ONU por graves violações cometidas pelas forças de segurança, como assassinatos e violações dos direitos humanos no contexto dos protestos e relatos de torturas e desaparecimentos forçados.

Na última sexta-feira – 07 de agosto – dois militares americanos da reserva, Luke Alexander Denman, 34, e Airan Berry, 41, presos na Venezuela no início de maio, foram condenados a 20 anos de prisão e responderão por terrorismo, conspiração e tráfico ilegal de armas.

Pai de brasileiro pode estar entre os presos

João Rafael Romero Vianna, filho do Coronel Venezuelano da reserva da Guarda Nacional Bolivariana, Oscar Rafael Perez Romero, que é antichavista, preso ilegalmente em 25/04/2020 (matéria publicada neste portal) pelas Forças Especiais de Maduro, informou que seu pai está encarcerado no DGCIM- (Diretoria Geral de Contra Inteligência Militar) juntamente com outros presos políticos.
Em contato com Rafael, este fez o seguinte relato:

“O governo fez uma audiência fechada sexta-feira, sem possibilidade de defesa, apenas defensores públicos do governo. Forçaram 30 acusados da Operação Gedeón de admitir sua culpa, apenas os dois americanos admitiram, os 28 venezuelanos negaram a acusação de terrorismo, como não conseguiram (fazê-los confessar), fizeram outra audiência hoje para forçar os 28 de novo.
Não temos notícias se meu pai está entre eles. Um capitão amigo, Antonio Jose Sequea Torres, foi sentenciado a 75 anos de prisão, mesmo não admitindo sua participação na Operação”.

 

Prisão tem péssimas condições sanitárias

A diretora da coalizão de direitos humanos, Tamara Suju, à frente da defesa dos presos políticos, em post no tweet, denuncia as péssimas condições do local onde estes se encontram detidos, com o risco de contaminação pelo Covid-19 inclusive, além de não terem o direito de contatar seus familiares e de realizarem ligações telefônicas, entre outras violações. Tamara responsabiliza Maduro e o Alto Comando Militar para o que possa vir acontecer a estes presos:

O papel da imprensa

Rafael salienta que diante da impossibilidade de defesa neste processo, totalmente ilegal, a Advogada da coalizão de direitos humanos disse não haver outra ferramenta para utilizar que não seja a divulgação do caso, pois não se sabe quem são estes 28 presos políticos prestes a serem sentenciados de forma extremamente arbitrária. As graves violações no processo já foram denunciadas à Cortes Internacionais, mas até o presente momento não houve decisão sobre o caso.

 

 

Mostrar mais

Adriano de Oliveira Barros

"Liberal Conservador", graduado em Administração de Empresas, possui extensão em Relações Internacionais e Planejamento Estratégico orientado ao setor público. Apaixonado por Filosofia, História, Música e Literatura. "Si hortum in biblioteca habes deerit nihil".

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios