Política

Líder do Movimento Docentes pela Liberdade tem encontro com Jair Bolsonaro

Movimento conta com mais de mais de 300 PhDs espalhados pelo Brasil lutando por uma universidade de qualidade

Na manhã de hoje (25), em evento marcado na agenda presidencial, Jair Bolsonaro, juntamente com o Assistente Especial da Presidência Arthur Weintraub, recebeu Marcelo Hermes Lima – Biólogo e Professor da UNB (Universidade de Brasília) e Presidente do movimento DOCENTES PELA LIBERDADE.

O objetivo da reunião foi declarar pessoalmente o apoio ao Presidente da República e apresentá-lo ao movimento DOCENTES PELA LIBERDADE, que conta com nada mais nada menos do que 300 docentes PhDs (philosophiae doctor) em seu núcleo.

Criação do Movimento e ideais do Docentes pela Liberdade

Após sofrerem perseguições, injúrias, ameaças e cerceamento da liberdade de expressão dentro do ambiente acadêmico, um grupo de docentes decide reagir e oferecer um novo horizonte às Universidades Públicas, transformadas pela Esquerda em meros palanques político-ideológicos,contribuindo para um ambiente improdutivo e nada plural.

Em entrevista a Gazeta do Povo em junho deste ano, o Biólogo e docente da UnB desde 1996, Marcelo Hermes Lima-54 anos, um dos autores da Teoria do Preparo para o Estresse Oxidativo, que tem como objetivo entender como animais conseguem viver sem oxigênio relata que criou um blog em 2007, a fim de defender seus pontos de vista. Em 2016, após sofrer ameaças por expor suas opiniões, fechou o blog, mas logo na sequência, em 2018, foi convidado a prestar consultoria para a equipe de campanha do candidato à presidência Jair Bolsonaro (PSL).

“Comecei a participar de reuniões com o general Souto”, ele explica, fazendo referência ao autor do plano de campanha para a área de educação, o general da reserva Aléssio Ribeiro Souto. “Ele me dava missões difíceis, queria um panorama das universidades brasileiras, do financiamento, dos alunos, dos professores. Comecei a chamar amigos para ajudar na pesquisa. Se não fosse o general Souto, esse grupo não teria nascido”.”

Já no início de 2019, enquanto agregava especialistas ao seu grupo de trabalho, Marcelo Hermes passou a publicar artigos sobre a baixa relevância da produção acadêmica nacional, analisando o desempenho de vários setores de pesquisa, comparando o impacto dos trabalhos desenvolvidos pela Academia brasileira com a de outros países, cuja produção é mais citada.  A situação criou um paradoxo: por um lado era atacado por alguns pares e por outro apoiado, chamando a atenção de vários pesquisadores que concordavam que a falta de relevância era um problema grave no ambiente acadêmico brasileiro.

Através de uma aproximação orgânica com professores alinhados ao pensamento liberal-conservador, o Professor Marcelo Hermes passou a acompanhar os processos de candidatura das reitorias de diferentes Universidades no Brasil.

No melhor estilo “tiozão do Zap”, que a Esquerda tenta criminalizar a todo custo, Marcelo colocou em contato profissionais de todas as regiões do Brasil das mais diferentes áreas do saber . Segundo o professor e historiador Ricardo Costa, um dos fundadores do DPL,“O grupo DOCENTES PELA LIBERDADE foi organizado a partir da combinação de vários grupos de WhatsApp, com professores do Brasil inteiro”.

Num primeiro momento, o grupo principal de WhatsApp, que reunia todos os participantes, se chamava “Educação sem Lacração”, contudo, conforme o grupo crescia e se organizava, chegou-se ao nome definitivo DOCENTES PELA LIBERDADE.

Segundo a página do movimento no Facebook, o objetivo do DPL é “reunir docentes de Universidades Públicas e Privadas do Brasil, bem como docentes de escolas e alunos, em prol da liberdade no ambiente acadêmico e escolar.Prezamos pela qualidade acadêmica, liberdade, eficiência administrativa, respeito ao dinheiro público, sustentabilidade, justiça e igualdade de todos perante a Lei”. Entre os princípios do “DPL” estão:

  • Liberdade de cátedra com responsabilidade;
  • Excelência acadêmica;
  • Integridade e eficiência de gestão e governança;
  • Apoio a docentes e simpatizantes comprometidos com valores éticos e republicanos;

Transformação do Movimento em Associação

Devido a amplitude que o movimento ganhou, no dia 18 de outubro foi realizada a Assembléia Geral do DOCENTES PELA LIBERDADE, em Brasília – DF, cuja pauta versou sobre a aprovação do Estatuto da Associação e a eleição de seus diretores. Já no dia 31 de outubro, o professor Marcelo noticiou no twitter a homologação do Estatuto em cartório, informado que as medidas para a obtenção do CNPJ da Associação seriam tomadas no dia 04 deste mês de novembro.

Associação ao DPL

Para aqueles que querem conhecer mais sobre o trabalho dos DOCENTES PELA LIBERDADE, segue o link das redes sociais abaixo:

Facebook: DPLnacional

Twitter: @DPLNacional

Instagram: dpl_nacional

E para quem querem se associar o site é: http://docentespelaliberdade.org/

 

 

Etiquetas
Mostrar mais

Adriano de Oliveira Barros

"Liberal Conservador", graduado em Administração de Empresas com extensão em Relações Internacionais e Planejamento Estratégico orientado ao setor público. Apaixonado por Filosofia, Ciência Política, História e Música. "Si hortum in biblioteca habes deerit nihil".

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios