Política

Lula é condenado a 12 anos e 11 meses de prisão por Juíza Gabriela Hardt

Já virou rotina Lula ser condenado

E Lula, réu na Operação Lava Jato, foi condenado novamente, dessa vez pela Juíza Gabriela Hardt nesta quarta-feira, 6. A sentença foi de 12 anos e 11 meses de prisão por corrupção ativa, passiva e lavagem de dinheiro na ação penal que envolve o famoso sítio em Atibaia, naquele em que a PF encontrou camisas de futebol com o nome de Lula e o número 13, banners de campanha, produtos de farmácia de manipulação em nome de Marisa Letícia, fotos do casal, e mesmo assim cinicamente o ex-presidente diz não pertencer a ele o sítio.

O líder do PT recebeu R$ 1 milhão em propinas referentes às reformas do imóvel, todas confirmadas por provas documentais nos autos do processo. Segundo a sentença, as obras foram custeadas pelas empreiteiras OAS e Odebrecht.

A pena é maior do que a imposta pelo ex-juiz federal Sérgio Moro. Em julho de 2017, o então magistrado da Lava Jato e atual Ministro da Justiça condenou o ex-presidente no caso triplex a 9 anos e seis meses de prisão.

A  juíza federal Gabriela Hardt afirmou que a família do petista ‘usufruiu do imóvel como se dona fosse’. “Inclusive, em 2014, Fernando Bittar alegou que sua família já não o frequentava com assiduidade, sendo este usado mais pela família de Lula”, anotou a juíza. A magistrada afirmou, no entanto, que a ação penal não ‘passa pela propriedade formal do sítio’.

Na sentença, a juíza anotou que exige-se de um presidente da República ‘um comportamento exemplar’. “Luiz Inácio Lula da Silva responde a outras ações penais, inclusive perante este Juízo, mas sem trânsito em julgado, motivo pelo qual deve ser considerado como sem antecedentes negativos. A culpabilidade é elevada. O condenado recebeu vantagem indevida em decorrência do cargo de Presidente da República, de quem se exige um comportamento exemplar enquanto maior mandatário da República”, afirmou.

A juíza afirmou também “o esquema de corrupção sistêmica criado tinha por objetivo também, de forma espúria, garantir a governabilidade e a manutenção do PT no Poder”.

Creio que a sentença de Lula é um bom recado para políticos corruptos. O novo Brasil que se desenha não aceita mais esse tipo de conduta criminosa. O tempo do “rouba mas faz” é coisa do passado. A Operação Lava Jato não vai parar, mesmo com os partidos de esquerda esperneando, mesmo com os “deuses” do STF torcendo o nariz.

A lava Jato é muito mais do que uma simples operação, ela é a representação de um senso de Justiça, que até pouco tempo atrás parecia impossível de ser visto pelo povo brasileiro.

Etiquetas
Mostrar mais

Adriano de Oliveira Barros

Graduado em Administração de Empresas pela Universidade de Franca, politicamente incorreto, articulista, apaixonado por música, filosofia e política.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios