Política

Militantes comunistas agridem jovens de movimentos de Direita em SP

Ato pacífico era realizado em frente ao prédio da UNE

A ativista e Youtuber do canal curta e grossa, Tatiana Alvarez, uma das coordenadoras do movimento Unilivres foi agredida ontem (29) durante um ato pacífico (devidamente protocolado) em frente ao prédio da UNE, na Vila Mariana em São Paulo. O ato foi realizado em oposição a UNE, que apoia deliberadamente a ditadura bolivariana de Nicolás Maduro.

A coordenadora do UniLivres relatou que após aproximadamente uma hora de ato, cerca de 50 militantes comunistas, entre estudantes, integrantes do PCdoB do PCO, sindicalistas, além de três seguranças, começaram a se aproximar de seu grupo, onde até então os movimentos se manifestavam sem agressões.Em ato contínuo, os militantes comunistas roubaram a bandeira do movimento venezuelano Rumbo Libertad, que também participava do ato. A bandeira roubada foi recuperada, porém neste instante um dos seguranças da UNE desferiu um soco no rosto de Caio Santana do movimento Direita São Paulo, que também apoiava o ato. Caio ainda relatou que foi agredido na cabeça e no braço com uma haste de bandeira. Um outro integrante do Direta São Paulo, menor de idade também foi agredido.

 

Caio Santana é o rapaz que está marcado na foto.

Tatiana relatou que que ela e seu grupo se posicionaram atrás de Policiais Militares presentes no local para evitar o confronto. Em seguida, enquanto ela filmava o que estava ocorrendo, foi agredida por um militante comunista (ainda não identificado), que usou uma haste de bandeira para golpeá-la.

Ele veio pra cima da gente com a haste da bandeira, a gente sabe muito bem pra que que é que eles levam esses bandeirões né?! É uma arma branca! “, disse.

 

As vítimas fizeram Boletim de ocorrência e a Polícia tenta identificar os autores da agressão.Tatiana teve traço de fratura, o osso de seu antebraço trincou, conforme relatório médico.

Diante desta agressão sofrida pelos jovens de Direita, mais uma vez podemos constatar toda a truculência e totalitarismo dos movimentos comunistas, que usam de um discurso demagógico de defesa da democracia e da pluralidade de ideias para mascarar toda sua violência, muito presente nas Universidade Públicas, onde a UNE é um dos principais braços utilizados para cooptar mentes e corações. E há ainda quem diga que não existe doutrinação ideológica no Brasil.

Mostrar mais

Adriano de Oliveira Barros

"Liberal Conservador", graduado em Administração de Empresas, possui extensão em Relações Internacionais e Planejamento Estratégico orientado ao setor público. Apaixonado por Filosofia, História, Música e Literatura. "Si hortum in biblioteca habes deerit nihil".

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios